Artigo

Desenvolvendo comunicação interna na área da saúde

O aperfeiçoamento dos espaços comunicativos é uma tarefa...

A preocupação em fornecer um serviço mais humanizado faz com que, cada vez mais, cresça a conexão entre saúde e comunicação, focada não apenas no paciente como também nos profissionais que operam pela qualidade dos serviços e atendimento. 
O aperfeiçoamento dos espaços comunicativos é uma tarefa difícil dentro de qualquer instituição, devido à humanidade de seu exercício. Em ambiente hospitalar ou em que se lide diretamente com saúde, essa complexidade se torna maior e mais intensa. Estas instituições são extremamente diversificadas no que diz respeito às rotinas, aos profissionais, ao perfil do paciente, os procedimentos e processos administrativos, por lidarem diretamente com vidas, um erro pode ter consequências graves.
A comunicação em saúde procura refinar estratégias de diálogos para informar as pessoas internas sobre as formas de aprimoramento ou para evitar riscos específicos para a saúde e para começarmos a falar sobre comunicação interna é preciso mencionar que as estratégias se baseiam em endomarketing, que significa o conjunto de ações de marketing dirigido ao público interno de colaboradores das organizações. 
A finalidade do endomarketing, mais do que esclarecer aos funcionários os objetivos da empresa, é o de motiva-los promovendo o engajamento deles em compartilhar de seus valores. Desta maneira, o funcionário recebe uma maior valorização e encorajamento com informações claras e elaboradas, isto estimulará seu comprometimento, tornando o ambiente de trabalho mais agradável e profissional.
Para isso, é fundamental conhecer as ferramentas existentes para o planejamento da comunicação interna, uma vez que cada uma possui características específicas que se adequam ao momento, aos objetivos, aos recursos disponíveis e à realidade de cada instituição. 

    Murais: o tradicional quadro no qual se afixam avisos, folhetos e informações variadas de interesse coletivo interno. Mas para serem eficientes, os murais devem estar em locais de alto fluxo de pessoas.
    Publicações internas: são mais utilizados na forma de boletins, jornais e revistas, mas a ideia é que seja feita online, na forma de um blog ou portal que seja atrativo aos colaboradores; 
    Congressos: são importantes porque reúnem profissionais da mesma área para discutir temas específicos, promovendo atualização profissional e também interação entre eles;
    Eventos culturais: podem ser realizados na própria empresa ou em parceria com organizações de cultura, por exemplo, shows, peças teatrais, filmes, exposições, comemorações do calendário e etc.
    Eventos sociais: são desenvolvidos com o objetivo de garantir a motivação e melhorar a integração entre funcionários, departamentos e entre empresa e público interno;
    Palestras e Workshops: são importantes tanto para o desenvolvimento e reciclagem profissional quanto para motivação.
Quaisquer que forem as ferramentas escolhidas é a boa gestão da comunicação que facilitará a coesão interna ao mesmo tempo em que potencializará as relações interdepartamentais e, inclusive, as individuais no sentido de que fomentam as relações humanas e na área da saúde esse deve ser o requisito fundamental para humanizar qualquer atendimento.